08/02/2021

 

Como perdi o medo de filmes de terror


Eu sempre fui medrosa.

Na minha infância todo o natal, minha família fazia viagens até a casa de uma tia para reunir a família.

Era a oportunidade perfeita de juntar os primos e assistir várias coisas legais, andávamos até a locadora ali perto, meus irmãos e meus primos eram todos mais velhos, loucos por filmes de terror ou mesmo aqueles de suspense onde acontece algum assassinato, e então eles escolhiam os filmes que iríamos assistir.

Fitas e mais fitas vhs enchiam nossas mãos por longos dias e noites de maratona. Como toda criança que não queria se sentir excluída, sentava entre eles para ver todo tipo de filme, apertando um travesseiro forte com as mãos e quando a cena era muito assustadora eu estava preparada: coberta, travesseiro, olhos fechados e a incessante pergunta “já acabou essa parte?”

Cresci uns bons anos sem assistir filmes simples de terror como o próprio boneco (com um olhar bem assustador, convenhamos) Chuck. Mas, ai de quem me perguntar na escola se eu, já adolescente, tinha assistido toda aquela lista de filmes aterrorizantes e sem nenhum sentido, minha resposta era sempre sim e minha internet discada demorava eras para carregar, então meu Wikipédia pessoal sempre foi a pessoa que mais ama terror que conheço: minha irmã.

Ela me arrastava para ver filmes bobos que depois percebi não ser tão aterrorizantes assim como Pânico, O Silêncio dos Inocentes e, pasmem, não assisti Um Mundo Perfeito (um dos meus favoritos), simplesmente por uma cena de assassinato.

Quando comecei a ceder um pouco a ver certos filmes de terror com alguns amigos ou minha irmã, criei regras bem claras em casa, sempre dormiria no mesmo quarto da minha irmã pelo ano inteiro se precisasse até conseguir dormir tranquila e no dia do filme nada de luzes apagadas ou me deixar ir ao banheiro sozinha.

As coisas seguiram por muitos anos assim, evitei todo tipo de filme de terror, assisti alguns por livre e espontânea pressão e deixei o gênero no escanteio (a culpa do medo de palhaços é toda do Stephen King).

Foi em 2020 que as coisas mudaram.

Não exatamente como você deve estar imaginando. A Netflix lançou mais um sucesso da sua antologia A Maldição e mais uma vez eu tinha interesse, mas meu medo era bem maior, então perguntei para minha irmã sobre aquelas histórias e ela contou um pouco. O fato é que mesmo com medo de alguns corpos e assassinatos passei minha adolescência e juventude inteira assistindo CSI, decorei falas, temporadas, episódios, escrevi fanfics sobre o seriado, shippei casais.

CSI foi e é meu seriado favorito. Guardo com muito carinho no coração, o fato é que minha irmã conheceu o livro A Volta do Parafuso porque o personagem Grissom da série falou sobre ele, assim como li Moby Dick e se tornou meu livro favorito por recomendação do mesmo personagem.

A Maldição da Mansão Bly tem inspirações em A Volta do Parafuso e minha curiosidade começou acender, a história de Henry James é um terror gótico sobre fantasmas e na minha mente fantasmas não poderiam mais ser tão assustadores agora com 24 anos e depois de já ter enfrentado montanha-russa.

Mergulhei na série e na sua antecessora A Maldição da Residência Hill. As duas formam o par perfeito de história de terror, sem o jump scare, os sustos ainda estavam lá, mas aquele não era o centro da história. Eu estava movida pelo amor e traumas que duas histórias feitas para assustar carregavam tão fortemente em seu cerne.

Uma família afastada carregando dores do passado, uma mulher sentindo culpa, o perdão sincero. Os fantasmas eram diferentes agora, eles não me causavam medo, eles me causavam lágrimas. Não havia terror maior do que todas as dores, culpas, segredos e desejos assombrando pessoas, impedindo elas de serem felizes, alcançarem o perdão, olharem para o outro, ser uma família.

Pela primeira vez em muitos anos, o medo de histórias de terror não existia mais. Os assombros ao andar no escuro sumiram, fantasmas não existem, apenas uma profunda curiosidade em mergulhar ainda mais nesse mundo.

Eu sempre fui medrosa.

Talvez porque eu realmente não estava enxergando essas histórias, talvez porque elas não são assustadoras ou apenas, talvez porque monstros podem ser reais, mas não aqueles.


Vanessa de Oliveira
Instagram: @nessagsr

8 comentários:

  1. Amei seu texto, ficou bem explicativo e sim nem sempre os monstros dos filmes são reais, não aqueles.
    Mas, eu ainda não assisto filme de terror e evito suspense, acho que me deixa assustada e desconfortável.
    Beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Vanessa. Como vai? Fico feliz que você tenha superado este medo de assistir a filmes de terror. Só não exagere, pois pode acometer de você ter pesadelos ou insônia durante o período noturno. Ademais aproveite, pois existem muitos filmes e seriados de qualidade para serem assistidos por quem curte histórias macabras. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá, Vanessa.
    Eu sou mais velha e peguei meu medo de filmes de terror dos filmes do Freddy Krueger hehe. E até hoje só assisto com o controle na mão para poder tirar o som nas partes que dão medo. Engraçado que ler eu leio de boa, acho que por não ter o som mesmo hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Como você está? Espero que esteja bem.

    Eu assisto qualquer filme de terror que não seja baseado em fatos reais (acho que já é brincar demais). Admito que, quando eu era mais jovem, eu costumava assistir mais, hoje em dia dei um descaso para o coração.

    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir
  5. Oi Vanessa, td bem?
    As duas temporadas de The Haunting são excelentes, recomendo a qualquer um! Tbm adorava CSI, rs.
    Eu adoro ver filmes de terror, geralmente não sinto medo e me divirto hahahah
    Bjs
    A Colecionadora de Histórias - Blog

    ResponderExcluir
  6. Primeiramente, venk e me dá um abraço virtual amiga, pois eu também cresci assistindo CSI e amo o seriado. Quanto aos filmes de terror, eu quase nunca assisti por que usar espíritos e o sobrenatural pra mim é falta de criatividade no roteiro, mas filmes de assassinato e serial killers, tipo O Silêncio dos Inocentes nunca me deu medo. E concordo com você, depois que a gente cresce o motivo do medo é diferente e filmes de terror causam outros sentimentos.
    Amei seu texto.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  7. Mulher, comigo aconteceu a mesma coisa! Em 2019 dei mais chances aos filmes de terror e me apaixonei, tenho uma amiga que só assiste suspense e terror, passamos a sair muito pro cinema juntas e só assistimos esses filmes <3 no fim alguns filmes nos fazem até rir da ingenuidade dos personagens hahaha
    Beijos, Nada Produtiva ♥️♥️♥️

    ResponderExcluir
  8. Eu fui ao contrário, eu assistia filmes de terror mas depois parei, achei o gênero "Repetitivo", é aquela tensão e sustos o filme todo né rs. Lendo sobre a série citada, deu até uma cosquinha de acompanhar.

    ResponderExcluir