02/09/2020

 

O Sol Também é uma Estrela: destino, amor e poesia


Depois de escrever sobre o filme Tudo e Todas as Coisas, fui conferir a adaptação de mais uma obra da Nicola Yoon, O Sol Também é uma Estrela. A direção do filme é de Ry Russo-Young e o lançamento aconteceu em maio de 2019.

Nesta história, conhecemos Natasha Kingsley (Yara Shahidi), uma jovem cética em relação a tudo que não pode ser explicado pela ciência de forma clara e objetiva. Por isso, sua crença sobre o amor e o destino é quase nula. Ela vive em Nova Iorque com a família e sua origem é jamaicana. No momento em que o filme inicia, recebemos a notícia: ela e a família serão deportados em menos de um dia. Natasha não se conforma, não quer voltar para Jamaica e sai de casa em busca de uma solução. Ela tem algumas horas para conseguir reverter toda a situação e permanecer nos Estados Unidos. Bom, é aí que a história realmente começa.

Andando pelas ruas de Nova Iorque, Natasha se distrai com o fone de ouvido e não vê um carro desgovernado se aproximando. Daniel Jae Ho Bae (Charles Melton), que já vinha observando a garota, a salva de uma tragédia. Desnorteada, Natasha tenta entender o que aconteceu e a partir desse momento começa uma sequência de coincidências que vão aproximar o casal.

Ao contrário da protagonista, Daniel é um romântico incurável. Ele acredita fielmente no destino, no amor e é apaixonado pela poesia. Daniel vive com os pais e o seu irmão mais velho e está em busca de uma oportunidade para entrar na faculdade de medicina, para assim realizar o grande desejo de seus pais. Não, ele não quer fazer medicina, mas existe uma pressão familiar para que ele tenha uma profissão que "honre o nome da família". No caminho até a sua entrevista, ele avista Natasha de longe, ela está com uma jaqueta que tem a frase "deus ex-machina” estampada, a mesma frase que mais cedo ele tinha escrito em seu caderno de poesia. Essa coincidência o deixa extasiado e naquele momento nada é mais importante do que conhecer Natasha.

Apesar de muitas críticas dizerem que o casal não tem química, eu preciso dar uma discordada. Talvez eu esteja sendo influenciada pela representatividade dos protagonistas? Talvez, afinal, não é todo dia que temos uma protagonista negra e um protagonista asiático NO MESMO FILME. E apesar da insistência de Daniel em querer estar junto de Natasha, você percebe que ela está intrigada com a presença e com a convicção dele.

Durante o filme, eu me sentia tensa em relação ao destino da família Kingsley, será que a situação consegue ser revertida? E ao mesmo tempo, é possível ver a importância de Natasha passar por tudo que está passando, faz parte daquela versão de sua história, a versão da sua vida.

A trilha sonora é impecável, e o cenário novaiorquino foi muito bem destacado. Tudo para que possamos entender melhor o fascínio da protagonista com a cidade que a mesma chama de lar. E é durante a narrativa que entendemos o porquê da afirmação "o sol também é uma estrela".

O final? Bom, eu não vou dizer, mas me deixou emocionada como fiquei com o final do filme Tudo e Todas as Coisas (e quando eu digo emocionada, não quero dizer triste). Os dois filmes tem um final que deixa o coração quentinho.


Bruna Domingos
Instagram: @brunadominngos

9 comentários:

  1. Oi, Bruna como vai? Me parece um filme bastante envolvente. Que bom que gostou de assistí-lo. Ótima resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Hey, Bruna! Cara, eu tenho uma relação estranha de amor e ódio com romances, acho que é o feeling de uma primeira impressão que um filme/livro me passa. Se eu vou com a cara da sinopse daquela história, eu fico super afim de ver/ler - se não, eu passo longe (nem eu mesma entendo direito HAHAH). E esse eu senti que foi um caso positivo, parece um filme super fofinho! E como você falou que ficou com o coração quentinho na conclusão da história, já me convenceu mais um pouco ahahah. Eu tenho pouco costume de ver filme, mas vou deixar esse em mente pra dar uma chance!

    Blog Trívia

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bruna!
    Esse filme eu não conhecia, mas amo histórias em que os protagonistas se conhecem por um acaso do destino. Me faz acreditar no amor de novo haha.
    Amei a resenha e já shippo esse casal antes mesmo de assistir ao filme <3

    Estante Bibliográfica

    ResponderExcluir
  4. Eu não conhecia o filme! Já adorei pela representatividade, a fotografia do filme de cara já me chama atenção também, já vou procurar pra assistir também! <3
    Beijoss, Blog Seja Agridoce ♥️♥️♥️

    ResponderExcluir
  5. Olá, Bruna.
    Eu confesso que nem sabia dessa adaptação. Quando lançou o livro eu li várias resenhas dele e em sua maioria foram negativas, por isso não me interessei em ler. Mas quem sabe eu assista o filme.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi Bruna,
    Eu li o livro e gostei, alguns pontos deixaram a desejar, mas como um todo foi ok.
    Quero conferir a adaptação em breve, não sabia que já estava disponível. Vou procurar na Net Now!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Ah, que gracinha de filme. Eu já quero ver, quem sabe nesse feriadão eu aproveito para ver também. S2
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  8. Oi
    eu também quero assistir esse filme, porém é aquela situação de querer ler livros antes de assistir o filme, mas to esperando tanto que vou acabar assistindo antes, porque eu gosto da atriz que protagonista Grow-ish.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Eu acho esse filme tão fofinho e eu gosto da forma que a história é contada.
    ainda não li o livro, mas sou doida para ler.
    E sim, pra mim o casal super tem química.
    beijos
    http://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir