16/08/2020

 

Amor à Primeira Briga: Quando os opostos passam a se admirar

Título Original: Les Combattants
Título no Brasil: Amor à Primeira Briga
Diretor: Thomas Cailley
Roteiro: Thomas Cailley e Claude Le Pape


Sinopse: Arnaud se prepara para tomar as rédeas da empresa da família, juntamente com o irmão. O encontro com Madeleine muda seus planos. A jovem está convencida que a humanidade está condenada. Ela se inscreve em um curso de preparação militar.

O nome original, Os Combatentes, se encaixa muito melhor no filme. Arnaud está combatendo o tempo inteiro seu sentimento e a pessoa que ele é. Madeleine está combatendo o tempo inteiro sobre coisas que ela não gosta, mas supostamente julga que deve gostar e seu comportamento. Os dois estão literalmente combatendo no treinamento do exército.

Amor à Primeira Briga conta a história de Arnauld (Kévin Azaïs) um jovem que após a morte do pai está trabalhando na empresa familiar de carpintaria com o irmão. Como de costume em comédias românticas, tudo muda quando ele conhece Madeleine (Adèle Haenel).

Enquanto Arnauld se vê confortável com sua vida, Madeleine tem muitas teorias de que o mundo vai acabar o mais breve possível e entrar num colapso social. Ela quer estar pronta para todo esse caos e está treinando muito para estar preparada para seja lá o que for chegar: vírus, guerra, apocalipse - isso tudo é dito pela personagem - ela esteja preparada. Para isso nada melhor do que entrar num campo de treinamento militar, certo?

Arnauld está fascinado com a nova garota e com o mundo que ela apresentou e toma a decisão de ir com ela para o campo de treinamento.

A história é simples do casal que não tem nada em comum e o melhor disso e que eles não vão para aquele clichê chato que aos poucos vão descobrindo que talvez gostem da mesma música, talvez gostem de algo parecido. Eles literalmente não possuem nada em comum e os que aproximam é a sobrevivência e a admiração que começam a sentir - Madeleine no caso, Arnaud estava admirado desde o começo. Aliás, coitado do Arnaud e nunca falo isso, mas ele é um personagem tranquilo e Madeleine realmente precisa de disciplina.

Ela foge do estereótipo de garota certinha. Também não é estilo rebelde, mas ela é realmente agressiva sem precisar de motivos claros para isso. Tem esse objetivo e atropela as pessoas seja com palavras ou agressão para chegar lá. Demora um pouco para ela começar a abrandar e mesmo assim não é muito.

O romance é muito lento. Thomas Cailley, diretor, conduziu tudo com tranquilidade até porque ele retrata aqui jovens na faixa dos 20 anos que vivenciaram a crise econômica na França e tentam se encaixar no mundo com a dose certa de humor e uma pitada de drama.

É uma história bem simples. Aquelas que você assiste no final da tarde, nada de novo, nada de espetacular, mas certamente prazeroso como uma comédia romântica deve ser.

O longa de 2014, estréia do diretor, alcançou o mérito de ser o primeiro filme a ganhar os três prêmios da Quinzena dos Realizadores do Festival Cannes 2014, sendo eles: Prix Label Europa Cinema, Art Cinema Award e Prix SACD.

Além do prêmio César 2015 de Melhor Filme, o prêmio de Melhor Atriz para Adèle Haenel e Ator Revelação para Kevin Azaïs.


Vanessa de Oliveira
Instagram: @nessagsr

11 comentários:

  1. Oi, Vanessa como vai? Que resenha bem escrita, parabéns! O longa metragem parece-me bastante agradável de ser assistido, principalmente nesta época tão incerta. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Vanessa, tudo bem?
    Deu pra sentir que sua experiência foi bem positiva, e achei legal fugir um pouco das produções norte-americanas. Mas a trama em si não me instigou a ponto de eu colocar na watch list. :(
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  3. Oi Vanessa, tudo bem? Nossa, eu não vi esse filme, mas super em chamou atenção já pelo título. Pode não ser espetacular como vc falou, mas parece interessante.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Legal a trama fugir um pouco dos clichês (apesar de amá-los) de comédia romântica. E ontem eu estava conversando sobre casais serem mega parecidos. É bom ter objetivos semelhantes, mas o oposto também traz um certo equilíbrio, sabe? Pelo que eu entendi, isso ocorre um pouco nesse filme, né? Enfim, dica anotada. :)

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
  5. Oi
    não conhecia, mas é um tipo de enredo que gosto, apesar de ser uma história simples, gostei da dica, se eu lembrar depois vou procurar para assistir.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Vanessa.
    Gostei bastante da dica e vou anotar aqui para assistir. Parece ser bem o que estou procurando no momento. Não sei porque mudam tanto os títulos dos filmes e livros. 90% das vezes o original é tão bom e o que traduzem nunca combina.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. NOSSA VAN
    eu amo filme tipo assim HAHAHAHAHAH
    ja quero pra ontem
    adoro uma comedia romantica, sabe?
    E certamente onde ele se passa é algo totalmente novo pra mim!

    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  8. Amei a resenha. Ainda não conhecia esse filme e já quero assistir.
    Tenho um fraco por filmes clichês e sempre finjo que não sei o que vai acontecer haha
    beijos
    http://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Apesar de sempre criticar os clichês, eu amo uma comédia romântica, e gostei do fato de a protagonista ser pouco parecida com as meninas desastradas que geralmente vemos em filmes assim. Amei a indicação e quando possível vou assisti-lo.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Eu gostei do enredo? Sim
    Vou assitir? Com certeza.
    Eu gosto bastante de filmes que passam uma visão histórica no meio de um enredo bem humorado, e esse me chamou bastante atenção. Vou assistir.

    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir
  11. Oii, como vai?
    Ultimamente eu não tenho tido muito saco para acompanhar séries e filmes. Os livros tem me prendido demais, aí já viu. Mas achei a premissa desse bem diferente dos que já ví. Parece interessante.

    Abraço ♥
    Larissa - Blog: Parágrafo Cult

    ResponderExcluir