15/04/2020

 

Resenha: Dom Casmurro

Título: Dom Casmurro
Autor: Machado de Assis
Editora Ciranda Cultural
Páginas: 208

Dom Casmurro é um dos maiores clássicos da literatura brasileira, ter a oportunidade de conhecer a escrita realista de Machado de Assis foi uma das melhores coisas que aconteceu comigo durante esta minha vida literária. A maior discussão que gira em torno desse livro é o possível adultério de Capitolina, ou como todos conhecem, Capitu. Depois de ler, reler e discutir com o clube de leitura (Cansei de Série), eu tirei a minha conclusão. 

Bento Santiago é um milagre, depois de uma tentativa frustrada de Dona Glória ter um filho, ela fez uma promessa: se conseguisse dar a luz a um menino, ela o colocaria em um semanário e o encaminharia para vida de padre. Porém, Dona Glória não imaginava que se arrependeria dessa promessa algum dia e Bentinho não esperava por Capitu, uma pequena garota que se tornou sua melhor amiga e primeiro amor.

"Os projetos vinham do tempo em que fui concebido. Tendo-lhe nascido morto o primeiro filho, minha mãe pegou-se com Deus para que o segundo vingasse, prometendo, se fosse varão, metê-lo na igreja" Pg. 22

E agora? Como se livrar dessa promessa para poder se casar com a mulher que amava? O livro é narrado sob a ótica de Bentinho e em curtos capítulos ele narra a sua infância até o momento em que se torna Dom Casmurro, apelido que faz referência a sua personalidade de homem calado e metido consigo.

Junto com Capitu, Bentinho tenta encontrar várias formas de se livrar da promessa da mãe. O rapaz conversou com o agregado de sua casa, José Dias, para puxar o saco de Glória e convencê-la a desistir da promessa, mas não teve jeito, Bentinho foi para o seminário. Lá, conheceu o seu novo melhor amigo, o Escobar. Um rapaz educado e inteligente, que não encantou apenas Bentinho, mas conquistou a confiança de toda família.

O tempo passa e após notar a aflição de Bentinho, Capitu e D. Glória (sim, mesmo não desistindo da promessa, ela seguiu arrependida, pois queria que seu único filho se casasse para dar continuidade a família), Escobar deu uma excelente ideia. Por que não adotar um rapaz e encaminhá-lo para o seminário e fazer dele um padre? Assim Bentinho ficaria livre para se casar e Dona Glória pagaria sua promessa.

A igreja aprovou a ideia e assim aconteceu, Bentinho ficou livre para casar e foi viver seu grande amor com Capitu.

Fatos
Bentinho sempre teve um olhar bem intenso em relação a Capitu, ele a idealizava de uma forma muito suspeita, na minha visão. Para ele, Capitu era uma moça forte, decidida e que conseguia tudo o que queria, as vezes nos faz acreditar que ela podia manipular qualquer pessoa. Isso se torna perigoso na hora de julgar o que aconteceu de fato até o fim da história.

Durante a narrativa, alguns comportamentos do protagonista me despertaram desconfiança na veracidade de sua ótica sobre as situações. Bentinho, vez ou outra, demonstrava um ciúmes doentio e egoísmo nas suas relações. Por causa da sua insegurança, sempre exigiu atenção exclusiva de Capitu e começava a ter paranoias se ela olhasse para outra pessoa. Será que dá para confiar em alguém assim?

"Foi justamente por ocasião de uma lição de astronomia, à Praia da Glória. Sabes que alguma vez a fiz cochilar um pouco. Uma noite perdeu-se em fitar o mar, com tal força e concentração, que me deu ciúmes.
- Tu não me ouve, Capitu!
- Eu? Ouço perfeitamente.
- O que é que eu dizia?"
Pg. 146

Casamento e o fim
Capitu e Bentinho se casaram, logo depois Escobar se casa com a  melhor amiga de Capitu, uma moça chamada Sancha. Os quatro viviam se encontrando, compartilhavam momentos importantes e planos para o futuro. A primeira filha de Escobar e Sancha chega e recebe o nome de Capitolina, em homenagem a Capitu. E por mais que Bentinho e sua mulher estivessem felizes por seus amigos, a chegada da pequena só aumentou o desejo dos dois de serem pais. Foram muitas tentativas até a chegada de Ezequiel, filho de Capitu e Bentinho, o nome foi uma homenagem a Escobar.

O tempo passa, o pequeno Ezequiel cresce e a relação do casal começa a ficar estranha. Bentinho se torna inseguro a cada dia e não se identifica nos comportamentos do filho. Até que uma tragédia leva a vida de Escobar e coloca em cheque o casamento do protagonista por causa de uma carta. Escobar não deixou nenhum bem material para o seu melhor amigo, mas deixou uma carta com informações sobre a paternidade de Ezequiel. Bentinho não revela o conteúdo, mas fica claro que nela diz que Capitu o traiu e o filho é fruto dessa traição.

Bento confronta Capitu, aponta as semelhanças da criança com Escobar e eles brigam, mas chega uma hora que ela o deixa falando sozinho. Para alguns esse silêncio pode confirmar a teoria da traição, mas para outros (assim como eu), demonstra o quanto Capitu estava cansada da insegurança de Bentinho. 

Teoria
Bom, eu poderia resumir a minha primeira teoria assim: Escobar sempre foi apaixonado pelo Bentinho e deixou essa carta como plano para destruir o casamento dele, mas não viveu o suficiente para ver acontecer. A relação íntima dos dois me fez refletir sobre isso várias vezes durante a leitura.  Mas há muito para analisar nas relações entre todos os personagens, desde o início fica muito claro que Bentinho nunca confiou em Capitu. Um olhar diferente da moça já o fazia pensar em mil motivos para confrontá-la. 

No capítulo 83, Bentinho descreve uma situação peculiar, o pai de Sancha aponta para o quadro da sua esposa e fala sobre como ela é parecida com Capitu. As duas não tem nenhum tipo de parentesco, mas todos concordavam que existia uma semelhança entre elas. Se você prestar bem atenção nesse momento, mais para frente poderá comparar essa situação com a de Ezequiel e Escobar. Não poderia ser uma coincidência a semelhança entre os dois para alimentar ainda mais a paranoia de Bentinho?

"Gurgel, voltando-se para a parede da sala, onde pendia um retrato de moça perguntou-me se Capitu era parecida com o retrato. Um dos costumes da minha vida foi sempre concordar com a opinião provável do meu interlocutor, desde que a matéria não me agrava, aborrece ou impõe. Antes de examinar se efetivamente Capitu era parecida com o retrato, fui respondendo que sim. Então ele disse que era o retrato da mulher dele, e que as pessoas que a conheceram diziam a mesma coisa." Pg. 119

Nesta história, nós só temos acesso a versão de Bentinho, como podemos confiar 100% na narrativa de um rapaz inseguro? Na discussão com o clube de leitura, batemos bastante nessa tecla. Assim como o personagem, o sentimento é de dúvida, o que faz parecer que Dom Casmurro só escreveu o livro para convencer a si mesmo de que tomou decisão certa ao confrontar Capitu. 

Eu, Bruna, só mudo de opinião sobre a infidelidade se um dia surgir a versão de Capitu sobre a história e a narrativa dela for ainda mais frágil que a de Bentinho. Mas há quem pensa diferente, alguns leitores acreditam que Capitu traiu Bentinho, um dos motivos é a crença de que ele poderia ser estéril. Como eu disse ali em cima, Capitu teve dificuldade para engravidar e depois de uma visita de Escobar, que supostamente era para falar de finanças (capítulo 106 - Dez libras esterlinas), Capitu descobriu a gravidez. 

Outro ponto que dá base para acreditar em Casmurro é o fato de que em nenhum momento do livro é narrado Capitu negando o fato, ela apenas desiste de conversar após uma longa discussão. O que me intriga é não sabermos o conteúdo da carta, que argumentos Escobar usou para afirmar tal coisa? A nossa única saída é analisar os detalhes da versão que Machado de Assis propõe sob a ótica de Bentinho.

A seguir, deixo aqui a breve opinião das minhas companheiras de clube de leitura sobre o livro Dom Casmurro:


"Mais de cento e vinte anos se passaram e ainda tentamos dar o veredito: Capitu traiu ou não traiu? Essa dúvida tão impecavelmente proposta pelo autor deixa um leque de possibilidades para o leitor, que vai julgar de acordo com valores e vivências pessoais. 

Eu voto sim, traiu. E me encanta ter a opção de estar errada. É um ótimo livro." - Luciana Arruda (@luzarruda)




"Acho que Bentinho em toda sua complexidade, sua falta de confiança e ciúmes como narrador me faz questionar não só o assunto principal sobre a traição de Capitu, mas também se toda narrativa ocorreu exatamente como ele contou." - Vanessa de Oliveira (@nessagsr)





Bruna Domingos
Instagram: @brunadominngos

12 comentários:

  1. Oi Bruna,

    Esse livro é um clássico literalmente rs.
    Eu lembro que li na época da escola, mas a história ficou meio esquecida já.
    Preciso reler.

    Bjs
    https://diarioelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bruna como vai? Este livro causa até hoje dúvidas quanto ao suposto adultério de Capitu. Eu particularmente acho que ela não tenha traído, embora as evidências descritas na narrativa do livro dizem o contrário. Eu adorei a sua resenha, e sem dúvida este livro é um dos clássicos da literatura nacional mais aclamados de todos os tempos. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. É uma vergonha eu assumir que nunca li, mas quero tentar uma hora dessas.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Bruna, tudo bem?
    Adorei a sua resenha e a forma como você estruturou a discussão, trazendo também a opinião das outras meninas. Pelo descritivo da resenha, eu apostaria que traiu (nunca li o livro, então é uma opinião baseada só no que li agora kkkk), mas também não apostaria que o relato dele é confiável.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  5. Esse livro é um eterno mistério!

    juliamodelodemodelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Hey Bruna! Tudo bem?
    Eu tava lendo Dom Casmurro por esses tempos e não sei pq cargas d'água parei, preciso retomar. Adorei a sua resenha.
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente |

    ResponderExcluir
  7. Olá, Bruna.
    Eu nunca li esse livro acredita? Mas de tanto ver o povo discutindo sobre, sem ler mesmo eu acredito que não houve traição. Mas um dia vou ler para entender tanto motivo de discussão sobre isso hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho esse livro e sempre quis ler para tirar minhas próprias conclusões sobre Bentinho e a suposta traição de Capitu. Mas, comecei a ler e achei muito difícil, acabei abandonando a leitura, eu era adolescente nessa época e só tentei lê-lo por causa das minhas aulas de literatura na escola. Mas, quem sabe agora, adulta, casada e mulher, o livro acabe me despertando maior curiosidade e eu consiga lê-lo né não?!
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  9. Oi Bruna,
    Eu li há anos, comprei uma edição para reler e ter uma visão mais madura da história.
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Eu acho que não traiu hahaha. Pode ser que eu esteja errada, mas quando li, tive essa sensação de que não houve traição! Mas seria uma boa ter a versão da Capitu. Vai que ela nos surpreende? E eu amei esse livro! Na época do colégio, não me prendeu nada. Mas na faculdade, me prendeu bastante! ♥

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
  11. Sabe que eu baixei recentemente e comecei a ler mas não terminei??
    Agora fiquei ainda mais curiosa depois da sua resenha hehehehehe
    quero dar meu veredito também e acho interessante como tanto tempo passou e ninguém consegue dar o veredito final dele. Mágico!

    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir