04/03/2020

 

Resenha: O teorema de Katherine

Título: O teorema de Katherine
Autor: John Green
Editora Intrínseca
Páginas: 304

O Teorema de Katherine foi o segundo livro que eu li do autor John Green e concluí que fiz essa leitura na época errada, vou explicar o porquê. Prestem bem atenção na sinopse: 

"Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. 
Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera." 

A escrita de John está, como sempre, excepcional. Ele tem uma linguagem fácil, muito bem pontuada e jovial, quanto a isso nem me atrevo a criticar. Ele sabe escrever para o seu público. Os personagens também foram bem construídos, pois eu senti a vibe deles e isso me fez ter uma relação de amor e ódio com o protagonista. Veja bem, o cara só se interessa por garotas com o nome Katherine, em que universo uma pessoa dessa vive? (no universo do livro, eu sei). 

Colin Singleton acaba de se formar na escola e de brinde ganhou um término da 19ª Katherine de sua vida. Ele está com o coração partido, em prantos quando seu melhor amigo, Hassan, o leva para cair na estrada sem rota definida. Neste tempo, eles fazem uma parada numa pequena cidade, onde começam a fazer amizades e arrumam um trabalho temporário. Enquanto todos esses acontecimentos vão desenrolando, Colin, que sempre foi considerado um menino prodígio em busca por sua genialidade, começa a desenvolver um teorema capaz de prever quem vai terminar dentro de uma relação. Necessário? Não, mas o garoto está em busca pelo seu Nobel e uma descoberta que envolve o cotidiano e vida das pessoas, pode ser um grande passo.

"Filho, se tem uma coisa que eu sei nessa vida, é que algumas pessoas nesse mundo cê só consegue amar e amar e amar, não importa o que aconteça"

O livro demorou um pouco para chegar num momento em que eu pudesse pensar “preciso terminar esse capítulo”. É neste ponto que percebo que este é o tipo de livro que eu deveria ter lido com 14 anos, eu teria mais paciência e talvez até entenderia melhor as atitudes egocêntricas de Colin. Talvez com 14 anos, eu curtiria melhor essa viagem dos dois melhores amigos e tentaria entender meus próprios sentimentos diante do meu convívio social. Tem todo o dilema do personagem querer fazer a diferença e marcar sua geração, ser famoso por descobrir algo nunca pensado. Isso me lembrou “A culpa é das estrelas” e todo aquele receio de Augustus de morrer e ser esquecido. 

Hoje, com 24 anos, essa não é uma preocupação coerente com a minha realidade, afinal, o jovem de hoje só quer deixar os boletos em dia. Piadas a parte, eu comecei a ler O teorema de Kathrine porque estava em busca de uma leitura leve e ele estava há alguns meses na minha estante. O livro é realmente leve e eu esfriei a mente, mas a demora para chegar no auge da história quase me fez desanimar. 

Finalizei o livro e gostei muito do final, não darei spoilers, mas posso dizer que Colin amadurece em certos pontos.

Bruna Domingos
Instagram: @brunadominngos

7 comentários:

  1. Oi, Bruna como vai? Quando li este livro na época em que o mesmo foi lançado, eu não consegui me conectar com os personagens do livro, muito embora o livro seja muitíssimo bem escrito, não gostei dele. Eu particularmente não sou atraído para ler livros do John Green, até hoje eu li muito poucos livros desse autor, e não consegui favoritar nenhum dos que li. Adorei sua resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Que legal ver sua opinião. Também estou precisando de livros leves. Pena que o auge demora um pouco para acontecer, mas talvez eu tente conhecer a história :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Amei sua resenha, eu ouvi falar muuuuitas coisas mesmo sobre esse livro. Tenho vontade de conhecer! ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, Bruna.
    Infelizmente eu desisti de ler os livros do autor. Já li quatro e não consegui gostar de nenhum deles. Acredito que os livros dele não são para mim. Esse eu não li, mas também não me desperta interesse.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oii Bruna
    Eu tinha esse livro, mas acabei me desfazendo dele porque não conseguia gostar do que eu lia. Só li dois livros dele e acho que foram o suficiente. Mas é bom saber que aproveitou a leitura.
    Beijos
    Três de Dezembro

    ResponderExcluir
  6. Oi Bruna,
    Esse é o único livro do John Green que não li e foi por recomendação, rs.
    Várias amigas leram e disseram que não é o melhor dele, que eu podia passar e acabei passando mesmo, pior que nem sinto vontade de conferir a obra, sabe? Sei que será uma leitura mais lenta.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi Bruna,

    Confesso que não curti esse livro e também não dou tão fã da escrita do autor. Talvez seja o que você disse, se eu tivesse lido com uns 13/14 anos talvez teria outra opinião tambem.

    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir