Ler para uma criança pode fazer a diferença



A leitura de livros está ficando cada vez mais distante da realidade dessa nova geração, aqueles momentos em que as crianças entravam em uma biblioteca com curiosidade nos olhos estão se tornando raros. E o que vem chamando a atenção é a questão do por que isso está acontecendo e o que pode ser feito para mudar.

Os brasileiros estão lendo menos a cada dia e a falta desse hábito está sendo repassada para as próximas gerações. É fato que a leitura influencia bastante no nosso dia a dia e não precisa ser um gênio para saber disso, pois seus benefícios são inúmeros e o conhecimento é infinito. O exercício da leitura de livros é algo poderoso para o cérebro, ela estimula a memória e expande a capacidade da nossa mente. Além de estimular a criatividade e a auto compreensão do mundo.

Emília Contel, professora do ensino fundamental de Guararapes (SP), afirma que uma das melhores formas de incentivar a leitura dos alunos é expondo desde pequenos os livros coloridos com histórias de aventura. “Tem que ser histórias legais e que chamem a atenção dos alunos”, recomenda a professora. “Gosto dos livros que meu pai lê pra mim e as histórias com desenhos coloridos me ajudam a desenhar e a escrever”, afirma Pedro Lima,7, que está no 3º ano do ensino fundamental.

As escolas vêm fazendo um trabalho para incentivar suas crianças a ler, apesar de ainda faltarem muitos degraus para alcançar o topo, mas a verdade é que sozinha ela não consegue desenvolver 100% esse trabalho. O hábito da leitura deve começar dentro de casa, são os pais os responsáveis em apresentar o primeiro livro ao filho e ler para aquelas que ainda não foram alfabetizadas, na intenção de aguçar o interesse da criança.

Porém, há uma grande reclamação dos professores em relação à falta de interesse dos pais em ensinar o filho o caminho para os livros. “Hoje, os pais misturam muito a questão de educação com conhecimento, então eles têm que entender que o professor está na sala de aula para o conhecimento, mas o interesse pelos livros e a educação tem que ser iniciado em casa”, afirma a professora Emília.

Os livros influenciam no comportamento da criança, é perceptível que uma criança que lê fala e entende melhor o mundo em que vive, ao contrário daquela que desde cedo já é influenciada pela modernidade tecnológica e esquecem as velhas fontes de conhecimento, e apesar dessa tecnologia trazer muitos benefícios, as pessoas desde cedo já estão começando a usar esta ferramenta de forma errada, e a tendência é piorar.

O número de pessoas que leem está bem menor entre crianças do ensino fundamental, e o mesmo vem ocorrendo com os adolescentes do ensino médio. E quando se trata de adolescente o método para atraí-los deve ser diferente e inovadora a cada dia, pois o mundo muda a toda hora para os jovens. O Brasil ainda merece muita atenção em relação a esse fato.


-Bruna Domingos 

Campanha #DarkSidePublicaOLuiz

Olá leitores!
Todos vocês conhecem bem minha admiração para com o autor Luiz Henrique Mazzaron. E descobri que não sou a única. São vários os leitores que leram "Máscara", se apaixonaram, e, consequentemente, se tornaram fãs do autor.
Luiz Henrique Mazzaron é um autor de terror e fantasia, muito criativo, com um talento sem igual, mas que infelizmente, ainda não tem o reconhecimento que tanto merece.
DarkSide é a Editora Brasileira que mais aposta no escuro, a primeira nacional a se dedicar totalmente a fantasia e ao terror.
Imaginem que perfeito seria se os livros do Luiz fossem publicados pela DarkSide?
Um verdadeiro sonho...
E nós queremos que ele se torne real.
Reunimos vários blogueiros, leitores e até mesmo autores para uma campanha que tem como objetivo, fazer com que a Editora conheça o trabalho do autor, e quem sabe, passe a apostar nele também.
Hoje iremos mobilizar nossas redes sociais com a #DarkSidePublicaOLuiz, e estamos aqui para convidá-lo a fazer parte desse movimento.

Não conhece o livro? Leiam a resenha AQUI.

E afinal, por que a Dark deveria publicar o Luiz?

É Nacional!
Em nosso cenário, não temos muitos autores que escrevem livros do gênero terror. É um talento de nosso país, que merece reconhecimento de uma Editora nacional tão talentosa.

Um autor completo e muito criativo
O Luiz tem uma mente incrível! A forma como ele criou o mundo de Domus é espetacular e inédita. E ele não parou por aí! Espiem só o que está no forno:

  • Máscara: O Jogo não Acabou, volume II - É a sequência que tanto aguardamos!! Ao terminarmos de ler o primeiro livro, ficamos loucos e desesperados pela sequência, que está prontinha, esperando para ser publicada.
  • O Sol Perdido - Livro I, Trilogia As Lendas de Illusa - No primeiro livro, somos levados ao mundo fantástico de Illusa. E o que podemos esperar dessa história? Ação, aventura, dragões, e... romance!!!
  • Lembranças Não Morrem - O autor promete causar arrepios e sessões extremas de medo no leitor. 
  • A Casa de Porcelana - É um thriller psicológico, que por enquanto não está recebendo muito a atenção do autor, mas nós leitores, mesmo assim, ficamos mega curiosos quando ele divulgou o prólogo. Confiram a divulgação no blog My Queen Side.
  • No grupo "Hall de Jogadores", criado para interação dos leitores e autor, ele divulgou mais um trabalho: uma ficção steampunck com agentes secretos, ação, golpe, muitas máquinas e, palavras do autor, "roupas fodásticas". O título da obra ainda não foi revelado.
Os leitores amam!
Uma coisa é certa: todos que lêem "Máscara" amam. Prova disso, são as avaliações positivas no Skoob. As resenhas são só elogios, e foi considerado a primeira ou segunda melhor leitura do ano de 2014 por muitos blogueiros. E claro que todos querem mais!


Os amantes do terror precisam conhecer

Aqueles que ainda não conhecem o trabalho do Luiz, precisam desesperadamente conhecer. E podemos afirmar que todos que amam terror, vão amar os livros desse autor.

Ele merece
Tanto talento e tanta dedicação merece reconhecimento. Sem contar que o autor faz questão de retribuir todo o carinho que recebe dos leitores. Não podemos deixar no vácuo um autor fantástico como ele.

Participem da nossa campanha! Vá agora mesmo para seu Facebook, ou Twitter, ou Instagram e coloque a #DarkSidePublicaOLuiz.

-Bruna Domingos

Resenha: O Casamento

Titulo: O Casamento
Autor: Nicholas Sparks
Editora Arqueiro
Paginas: 224
Onde Comprar: Saraiva

Sinopse: Após quase 30 anos de casamento, Wilson Lewis é obrigado a encarar uma dolorosa verdade: sua esposa, Jane, parece ter deixado de amá-lo, e ele é o único culpado disso. Viciado em trabalho, Wilson costumava passar mais tempo no escritório do que com a família. Além disso, nunca conseguiu ser romântico como o sogro era com a própria mulher. A história de amor dos pais de Jane,contada em Diário de uma paixão, sempre foi um exemplo para os filhos de como um casamento deveria ser. Diante da incapacidade do marido de expressar suas emoções, Jane começa a duvidar de que tenha feito a escolha certa ao se casar com ele. Wilson, porém, sente que seu amor pela esposa só cresceu ao longo dos anos. Agora que seu relacionamento está ameaçado, ele vai fazer o que for necessário para se tornar o homem que Jane sempre desejou que ele fosse. Em "O casamento", Nicholas Sparks faz os leitores relembrarem a alegria de se apaixonar e o desafio de se manterem apaixonados.

Resenha: O Casamento nos traz o dilema de Wilson Lewis, um homem que dedicou boa parte da sua vida para o trabalho e por consequência esqueceu de dar atenção necessária para a sua família, assim deixando de lado os momentos mais importantes de seus filhos e esposa.

Jane e Wilson são casados há quase 30 anos e tem três filhos, mas a união desta família está a cada dia mais ameaçada. O estopim para os verdadeiros problemas começarem acontece quando Wilson esquece a data de aniversário de seu casamento.

Ao perceber que sua esposa está deixando de ama-lo, Wilson recorre a ajuda de seu sogro Noah, esse que será seu maior conselheiro para ajudar a reconquistar Jane. Vai ser um desafio e tanto para este personagem, não será fácil reconstruir algo que ele mesmo destruiu e acredite, a cada capitulo as coisas parecem não estar tão boas para Wilson. Reconquistar o amor e a confiança de Jane vai ser mais difícil do que imaginava.

A partir daí começa uma saga para ter de volta a sua mulher e um de seus planos para ajudar na reconquista é programar uma perfeita festa para o próximo aniversário de casamento, mas não vai ser uma simples festa, o plano vai ser tão perfeito que vai ser surpresa até mesmo para quem está lendo o livro.

Essa história é narrada em primeira pessoa e para quem não sabe ou não se ligou, O Casamento é como se fosse uma continuação de Diário de uma Paixão, mas a história contada tem foco em Jane, que é a filha de Noah e Allie, e em seu marido Wilson Lewis.

Costumamos ouvir bastante aquela frase de que "todos os livros do Nicholas Sparks são iguais", mas a verdade é que a maioria das pessoas que dizem isso não leu mais que três livros do autor e só assistiu os filmes. Pelo menos esse é o perfil da maioria das pessoas que ouço dizer isso. O Casamento é um romance mais sério e que nos faz suspirar, e acredito que o autor conseguiu transmitir a mesma essência de Diário de uma Paixão para essa história. O que faz dela um diferencial grande em relação aos outros livros.

A curiosidade para saber o que o Wilson iria fazer pra salvar seu casamento foi aumentando a cada página. E as partes em que Noah contava mais detalhes das coisas que teriam se passado na vida de sua família, que não é contado antes do término do livro Diário de uma Paixão, foi umas das coisas que me prenderam. 

Nicholas Sparks tem uma escrita fácil por isso a leitura flui rapidamente, os personagens são encantadores e é claro que quem é fã do primeiro livro do autor vai adorar todos os momentos em que Noah aparece.

Mas acabei entendendo que amar é mais do que resmungar três palavras antes de ir dormir. O amor é sustentado por ações, pela constante dedicação às coisas que um faz pelo outro diariamente.
-Bruna Domingos 

16 musicas que vão te ajudar a ser alguém melhor

Existem "n" formas de ser feliz, mas sem duvidas a melhor delas é se tornando alguém melhor. Alguém o mais livre possível de pensamentos ruins, alguém que não vê a vida só com o negativismo de sempre, ou que está sempre de cara fechada, reclamando de tudo, vendo a vida com os olhos de um coração amargurado.

Ser alguém melhor é ser alguém maior e pra ser maior é necessário se desprender de algumas coisas, sentimentos e costumes que te carregam pro inverso desse propósito.

Por que se preocupar com tão pouco? Por que julgar ao invés de tentar entender? Por que reclamar de um problema antes mesmo de tentar resolve-lo? Por que ser tão individualista? Por que se privar de gargalhar? Por que tanto medo do que alguém - que muitas vezes você nem conhece - pode pensar a seu respeito? Por que tanto apego as coisas materiais? Por que tanto ódio e por que tanta intolerância? Por que padronizar tudo? Por que enxergar a vida como competição, quando podemos usufruir do mutualismo? São questionamentos simples, com respostas simples, mas que requerem um tipo de desconstrução que não é tão fácil.

Alguns elementos no mundo nos ajuda a entender esses porquês e nos livrar de alguns deles. E um desses ditos elementos é a musica. Por que a musica? Porque ela tem o poder de te alegrar, te entristecer e de te fazer refletir.

Pensando nisso, separei uma pequena lista de músicas que, de alguma forma, nos ajudam a evoluir. Independente do ritmo o que está em destaque aqui é a letra.

1 - Morada - Forfun



2 - Felicidade - Marcelo Jeneci



3 - Vida ou Morte - CPM 22



4 - Sentimento Bom - Filosofia Reggae



5 - Brilho Oculto - Mato Seco



6 - Inimaginável - Troy Rossilho



7 - Piloto Automático - Supercombo



8 - Mantra - Maglore



9 - Aonde vai chegar - Ponto de Equilíbrio



10 - Perdoando o Adeus - Teatro Mágico



11- Crer-Sendo - Castello Branco



12 - Se for pra tudo der errado - Topaz



13 - Quando a gente cresce - Topaz



14 - Boa Pessoa - A Banda Mais Bonita da Cidade



15 - Somos quem podemos ser -  Engenheiros do Hawaii



16 - Deixa o sol entrar - Nenhum de Nós


-Sarah Bee

Dias de Foca: Eu escolhi jornalismo

Eu não me recordo ao certo o momento em que eu disse "É jornalismo que eu quero", aliás a minha relação com esse curso aconteceu de forma bem natural e rápida. Natural porque na minha mente foi como se eu acordasse em um dia (que não me recordo) e dissesse "eu quero jornalismo" e rápida porque não demorei muito tempo pra descobrir isso. Não tive aquela fase "Minha nossa, não tenho a minima ideia de qual curso quero fazer" e nem me dediquei à testes vocacionais.

Lembro que quando eu estava na oitava série eu queria fazer psicologia, mas nunca tinha parado pra pesquisar sobre a profissão e tudo que ela faz. Mas quando entrei no colegial as coisas foram mudando, meu habito de ler e escrever estavam bem mais fortes e quando ouvi que uma amiga minha queria encarar jornalismo eu fui pesquisar e -  tchãraamm - me identifiquei completamente com o curso.

Atualmente estou no terceiro semestre. E quero explicar como surgiu a ideia de criar esta coluna no blog. No dia 09/03, minha professora de Técnica de Redação, Fernanda Mariano, nos deu um desafio enquanto explicava sobre coerência e coesão nas redações. Esse desafio consistia em relatarmos em um diário os nossos dias como foca. Onde e a forma como isso seria relatado não importava muito, desde que treinássemos a nossa escrita através desse diário. Me animei bastante com a ideia, seria mais um motivo para gastar meu tempo escrevendo, e me senti na obrigação de encarar o desafio. A forma como eu iria fazer isso foi muito fácil de escolher, pelo fato de já usar o Blogger há um tempo essa foi minha primeira opção. Pra quem não sabe, Foca é o simbolo dos jornalistas iniciantes,
por isso a ideia do nome "Dias de Foca".

Quero contar aqui tudo sobre o que aconteceu e acontecerá comigo em relação à profissão e ao curso de jornalismo. Quero deixar registrado sobre as matérias e o meu desenvolvimento como estudante e profissional, além de, claro, exercitar a minha escrita porque no fim das contas é essa a minha real intenção. Vou atualizar esta coluna em dias aleatórios, assim terei bastante tempo para deixar tudo bem elaborado. Espero conseguir cumprir esse desafio com fidelidade e que eu possa vir a crescer com tudo isso.
-Bruna Domingos

Resenha: A Bandeja - Qual pecado te seduz?

Titulo: A Bandela - Qual pecado te seduz?
Autora: Lycia Barros
Editora Danprewan
Páginas: 251

Sinopse: "A Bandeja" conta a história de Angelina, jovem de 19 anos, que ao entrar para a universidade, inicia um apaixonado envolvimento amoroso com um de seus professores, Alderico - mais conhecido por Rico. Por conta de toda a avassaladora e descontrolada paixão que envolve esse relacionamento, Angelina começa a viver somente para Rico, colocando seus estudos, seus amigos, sua família, sua religião e até mesmo a si própria em segundo plano. Angelina é evangélica por tradição familiar e não exatamente por convicção religiosa. Porém, inesperadamente, tem um estranho sonho, cujas revelações possuem um forte e marcante significado, que ela somente conseguirá compreenderá mais tarde. Quando a grande verdade é revelada para Angelina no momento certo, ela finalmente compreende o que significa o amor de Deus em sua vida.

Resenha: Angelina de 19 anos vive em Petrópolis com a sua família, mas se muda para Rio de Janeiro para cursar a faculdade. Morando agora em uma republica, ela vê sua rotina e convivência totalmente mudada. Acostumada com um ambiente evangélico, Angelina começa a passar por situações que pode colocar abaixo os ensinamentos cristãos que recebeu durante a vida. Começando por Alderico, ou Rico como é chamado. Rico é professor na instituição em que Angelina estuda, um cara de boa aparência, apaixonante, educado e bem bonito, essas características serão o suficiente para desviar nossa personagem do caminho que ela deveria seguir.

A Bandeja é um livro nacional que soube tratar de forma natural o lado da religião. Um assunto que atualmente não é tratado de forma bem aceita por todos, por conta de vários motivos que já estamos cansados de ver e ouvir. Talvez esse tenha sido uma das coisas que mais me chamou atenção neste livro e como ele foi bem recebido por todos. A escrita da autora também deve ganhar relevância, é leve e a leitura flui de forma fácil. 

Os personagens tem um toque especial de realidade, algo que é muito importante quando se está construindo uma história. Fazer com que o leitor tenha sensações reais e se identifique durante a leitura deixa o livro ainda mais especial. Temos como exemplo o fato de Angelina não enxergar nada na sua frente além de Rico, é o que acontece quando começamos a nos fixar em algo ou alguém, esquecemos das coisas ao nosso redor, das pessoas que deveríamos dar o real valor. E é o que vemos acontecer na realidade.

O cenário do livro também foi bem descrito, os sonhos que Angelina teve das bandejas (não darei detalhes), foi muito significativo para a moral da história. A Bandeja é um livro bem reflexivo, te faz parar e pensar: O que você está fazendo da sua vida? Como está sua fé? Você está fazendo as escolhas corretas? E principalmente, você está dando valor para as coisas certas?
-Bruna Domingos